10 dicas para ser mais feliz no ambiente de trabalho

Posted on jul 18, 2014

“Nataly Kogan, a co-fundadora e CEO da startup Happier – uma companhia que ajuda as pessoas a serem mais felizes e saudáveis em todas as partes de suas vidas – preparou um pequeno guia com 10 dicas para que o profissional enxergue seu local de trabalho de uma perspectiva diferente e mais bem humorada.

guia foi publicado no site sobre moda e estilo de vida feminino, Refinery29, que ainda aconselha: se você está em uma situação realmente miserável no trabalho, é preciso procurar outras opções. Porém, se a questão é apenas um dia difícil ou muito atarefado, o guia poderá ser uma boa pedida para mudar de perspectiva e melhorar seu humor.”

Faça uma fuga de 60 segundos

Escolha um momento no meio do dia e configure o alarme de seu telefone. Quando o despertador tocar, levante-se da mesa e deixe o celular e computador de lado por um tempo. Respire fundo, dê uma caminhada pelo escritório, coma um pedaço de seu chocolate favorito ou tome um chá ou café. Depois, volte para seu espaço de trabalho e retome o que estava fazendo.

Segundo Nataly, depois de tomar uma pausa o profissional se sentirá renovado e mais calmo, conseguindo ter mais controle sobre os problemas que aparecem durante o dia.

Faça alguma coisa antes de checar seu e-mail

Os e-mails podem tomar muito do seu tempo. Se antes de abrir a caixa de entrada você já cumprir alguma tarefa, sentirá que seu dia já está mais produtivo e terá mais energia para encarar as próximas atividades.

Bloco de anotações

Parece meio bobo, mas funciona! – diz a executiva – os vários estudos que apontam os benefícios em expressar gratidão não estão errados: anotar algo positivo sobre seu dia faz com que você goste mais de seu tempo de trabalho e se sinta mais animado para encarar o dia seguinte.

Faça de seu espaço de trabalho um lugar menos chato

Leve sua foto favorita para deixar em cima da mesa. Traga mais energia para seu espaço de trabalho equipando-o com suas canetas, cadernos e outros acessórios favoritos.

Faça uma gentileza para um colega de trabalho todos os dias

Leve o aperitivo favorito de seu colega de trabalho e deixe-o na mesa para surpreendê-lo. Elogie alguma característica de um amigo, deixe recados engraçados ou chame alguém para um café. A própria ciência mostra que demonstrar gentileza traz benefícios para a própria pessoa, tornando-a mais positiva.

Faça reunião durante uma caminhada

Ao invés de ficar sentado na sala de conferências, faça uma reunião em uma caminhada fora do ambiente de trabalho. 20 minutos de ar fresco durante o dia faz com que você se sinta mais feliz e a conversa pode ser ainda mais produtiva.

Procrastine com qualidade

Parece estranho, mas parar de vez com a procrastinação pode te deixar mau humorado no trabalho. É claro que a dica não é te fazer passar horas navegando na web ou nas redes sociais. Pelo contrário: defina uma meta e tire um tempo para descobrir algo novo durante o dia – procure novas receitas, sites ou leia algo em seu site favorito.

Agende uma hora para cada tarefa

Fazer muitas coisas ao mesmo tempo pode te deixar até 25% menos eficiente – e ainda te faz sentir sobrecarregado. Organize uma coisa para fazer em seu tempo certo e faça apenas aquilo nesse período. Se for preciso, deixe o celular de lado e desligue-se da internet para não se desconcentrar.

Sente-se direito ou levante-se

Sentar-se do modo correto pode te fazer sentir com mais energia. Levantar e se movimentar de vez em quando também ajuda a alongar o corpo. Defina uma regra para se levantar sempre que for tomar alguma coisa – água ou café – por exemplo.

Tenha sua canção favorita em mãos

Toque sua música favorita para relaxar antes de ir para uma reunião estressante ou quando sentir que precisa de uma dose de energia.

Via: http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/10-dicas-para-ser-mais-feliz-no-ambiente-de-trabalho

Arte de Fazer

Posted on jul 16, 2014

“Arte de Fazer” é uma série que apresenta e destaca pessoas que vão contra o espírito de pessimismo e de desespero, tão presentes no dia a dia de muita gente, atualmente. Essas pessoas se atrevem a sonhar, criar e zelar pela imaginação. Movidas pela paixão, pelo conhecimento e pela emoção, tentam combinar a precisão da ciência com a elegância da arte.

Senhas de uma nova vida

Posted on jul 14, 2014

Para muitos essa história pode parecer bobagem, mas nós acreditamos que a repetição contínua de pensamentos positivos pode influenciar muito a nossa vida.

“Sempre que há vazamento de informações de um sistema digital, especialistas em segurança alertam sobre formas de criar senhas fortes. Dizem que devemos usar o mínimo de oito caracteres alfanuméricos, trocar a senha periodicamente e outros conselhos bastante úteis.

Mas nenhum especialista poderia sugerir que a senha escolhida é capaz de salvar a sua vida.

Foi o que aconteceu com o equatoriano Mauricio Estrella. No artigo “How a password changed my life”, ele narra uma cadeia de eventos positivos em sua vida que tiveram como origem uma senha de computador.

Em 2011, Mauricio estava depressivo por causa do divórcio recente. Pensava em como as coisas tinham dado errado. Um dia, ao chegar no trabalho e ligar seu computador, encontrou uma mensagem bastante comum a usuários do sistema Microsoft Exchange — e um tanto repetitiva:

Sua senha expirou. Clique em “Alterar senha” para alterar sua senha.

A cada 30 dias, o sistema automaticamente descartava a senha anterior e pedia uma nova. Não qualquer senha nova: ela deveria ter, pelo menos, oito caracteres sendo um caractere maiúsculo, um caractere minúsculo, um símbolo e um número. E não era possível repetir uma senha usada nos últimos três meses.

“Naquela manhã, eu estava furioso. Era terça-feira, 9:40 da manhã”, conta Mauricio, no artigo. “Eu estava atrasado. Ainda usava meu capacete. Acho que esqueci o café da manhã. Algo tinha gosto de cigarro na minha boca. Eu tinha de fazer minhas coisas até antes da reunião das 10 e tudo o que encontrava diante de mim era uma enorme perda de tempo.”

Mauricio lembrou do conselho de um ex-chefe: “Vou usar uma senha para mudar a minha vida.”

A senha escolhida foi Forgive@h3r (“Perdoe-a”, em tradução livre).

Por um mês, Mauricio teve de digitar — inúmeras vezes ao dia, todos os dias — “perdoe-a”.

“Esta ação simples mudou a forma que eu via minha ex-mulher. O lembrete constante de que eu deveria perdoá-la me levou a aceitar como as coisas aconteceram no fim do casamento e aceitar uma nova forma de lidar com a depressão na qual eu me afundava”, explica. “Cada vez que eu digitava a senha, eu pensava em perdoá-la. O efeito curativo veio imediatamente.”

Um mês depois, o servidor novamente pediu a alteração da senha. Mauricio digitou Quit@smoking4ever (“Pare de fumar para sempre”).

Mauricio parou de fumar. “Esta senha era doída de digitar durante aquele mês, mas fazer isso me ajudou a berrar para mim mesmo, na minha cabeça, enquanto eu digitava. Me motivou a seguir meu objetivo mensal.”

No mês seguinte, a senha foi Save4trip@thailand (“Economize para a viagem à Tailândia”, em tradução livre). Três meses depois, Mauricio estava no país asiático.

Também usou as senhas Sleep@before12 (“Dormir antes da meia-noite”), Ask@her4date (“Chame-a para sair”), No@drinking2months (“Não beba por dois meses”), Get@c4t! (“Tenha um gato”) e Facetime2mom@sunday (“Faça ligações em vídeo com a mãe todo domingo”). Todos eles funcionaram.

Apenas Eat2times@day (“Coma duas vezes ao dia”) não deu certo. “Continuo gordo”, diz Mauricio. Continua gordo, mas algo mudou: no dia 21 de junho, depois de usar a senha Save4@ring (“Economize para uma aliança”), Mauricio ficou novamente noivo.”

Que tal mudar a sua senha para: (seja feliz no trabalho)?

Via: http://m.huffpost.com/br/entry/5552486

Rodolfo Viana Brasil Post

Na onda da felicidade

Posted on jul 11, 2014

Neste vídeo, o velejador Amyr Klink, em entrevista ao Fantástico, fala um pouco da sua experiência em correr atrás da felicidade.

Geração X chutando o balde

Posted on jul 10, 2014

Pode até ser coincidência, mas nunca ouvimos falar tanto de pessoas que têm, aproximadamente, a mesma idade que a gente, e estão largando um emprego. Os motivos são variados, mas o objetivo é o mesmo: todas elas resolveram ir em busca da felicidade. E, hoje, encontramos esse texto excelente, escrito pela jornalista Fabiana Gabriel, que fala sobre o assunto.

“Essa semana recebi um e-mail de despedida de uma amiga e parceira de trabalho. Ela vendeu sua parte na sociedade da empresa que ela mesma havia montado, anos atrás, para tirar um período sabático. Vai para a Europa estudar gastronomia e fotografia, suas duas paixões.

Não é a primeira nem última amiga minha, por volta dos 35 anos, com uma carreira bem sucedida e vida estável, que toma essa decisão. Uns três anos atrás, um amigo próximo um dia disse adeus ao emprego que tinha. Todos ficaram meio surpresos. O cara trabalhava há mais de uma década em grandes empresas, era respeitado e tinha uma vida confortável no Rio de Janeiro. Mas encheu o saco. Resolveu estudar Gestalt, voltou pra Florianópolis – sua cidade natal – e abdicou de grande parte do conforto em busca do que o faria feliz de verdade. Ele nunca mais fez uma apresentação de power point na vida, usa o excel apenas para controlar seus gastos mensais e esbanja um brilho nos olhos toda vez que nos vemos.

Fato é que histórias como essas têm sido cada vez mais comuns na minha geração. Enquanto todos se preocupam com a urgência e ambição da Geração Y, a Geração X, imediatamente anterior, está repensando seus conceitos e valores. Fomos criados acreditando que uma vida feliz era falar línguas, fazer carreira, trabalhar a vida inteira numa ou duas grandes empresas, comprar o apartamento próprio, construir uma família para sempre e ir pra Disney (ou Paris) uma vez por ano. Uma vida estável e fixa, sem rompantes de aventura.

Acontece que grande parte da Geração X chegou aos 30, 40 anos e descobriu que para juntar meio milhão e dar entrada, com sorte, num apartamento modesto que irá pagar até seus 60 anos, o caminho é longo e o preço é alto, bem alto. Os poucos que conseguem, heroicamente, conquistar seus bens e sonhos sem a ajuda dos pais, estão exaustos. Olham em volta e mal têm tempo de curtir os filhos ou as férias exóticas que sonham (e têm dinheiro para tirar) para a Tailândia, Marrocos ou Havaí. Há também aqueles que ficaram tão ocupados em conquistar aquilo que lhes foi prometido que deixaram para “daqui a pouco” os filhos, os hobbies e a felicidade e perceberam, agora, que “desaprenderam a dividir”.

No meio disso, veio essa sedutora mobilidade contemporânea, mostrando a nós o que nossos pais ainda não podiam nos ensinar, que é possível existir estando em qualquer lugar e que não é uma mesa de escritório ou um cartão de visitas que nos faz mais nobre, mas sim aquilo que de melhor podemos oferecer ao mundo. Só que descobrimos isso depois de passarmos grande parte da nossa juventude preocupados em nos sustentar, sermos bem sucedidos, conquistar prestigio e reconhecimento. Para, enfim, ter a liberdade de chutar o balde e sair por aí…

Fabiana Gabriel é jornalista, tem cartão de visitas, mas ainda não comprou sua casa própria, nem chutou o balde…”

Fonte: http://revistacarneseca.com

Nota 10

Posted on jul 9, 2014

Este texto foi escrito pelo jornalista Bill Murphy Jr. que, ao observar o comportamento de executivos, artistas e inovadores bem sucedidos com quem encontra frequentemente, elaborou uma lista de 10 hábitos simples que podem transformar a vida de todos nós para melhor.

“Suas chaves para o sucesso não são complexas. Pelo contrário, é o efeito cumulativo de hábitos simples, praticados diariamente”.

1. Defina – e confira – seus planos para o dia.

Você tem uma lista de coisas para fazer – no papel ou na cabeça. Se escrevê-las será mais fácil para visualizar, se organizar e conferir: será que o que está fazendo de fato é o que tinha se proposto a fazer? São as tarefas que contribuem com seus objetivos de vida de longo prazo?

Se seguir essa sugestão, você certamente vai se pegar fazendo coisas fora do script várias vezes ao dia. O importante nessa hora é não desistir de seus planos, em uma atitude efeito dominó: “Ah, já não fiz nada mesmo, então vou esquecer essa lista”.

Observe se as atividades não programadas são imprevistos, alinhados com seu propósito de longo prazo, se lhe trarão alguma satisfação que valha a pena ou se são meras distrações e perda de tempo, que não o levarão a lugar nenhum. Se esse for o caso, interrompa-as, quantas vezes for necessário. Assim, vai eliminando esse tipo de desvio – comum, porém nocivo – do seu dia a dia.

2. Peça ajuda.

Ninguém faz nada de bom sozinho. Pedir ajuda para cumprir uma tarefa não é sinal de fraqueza. É sinal de respeito ao conhecimento dos outros. As pessoas gostam de lembrar que o que sabem tem valor para os demais.

Mas é importante saber pedir ajuda. Faça isso educada e respeitosamente, escolhendo, inclusive, o momento mais oportuno para a pessoa. Tem gente que pede ajuda como se o outro fosse obrigado a ajudar. Lembre-se: você quer um favor. O interesse é seu. Então, se for ajudado, agradeça. Mesmo se a pessoa também sair ganhando com a interação, foque-se no seu benefício. O reconhecimento de que aquilo foi bom para o outro é problema dele.

3. Oriente alguém e seja orientado.

As pessoas extraordinárias, por um lado, se comprometem com um mentor. Por outro, oferecem orientação a outra pessoa.  Isso não significa que a conversa em qualquer um dos casos tenha que ser profunda, o que, em alguns dias, cansa só de pensar.

Alguns minutos podem ser suficientes, por exemplo, para responder a alguém que procura entrar em sua área de trabalho e precisa de informações. Em outro momento, você pode ser breve ao pedir a um amigo com mais experiência esportiva lhe dar algumas dicas para aprimorar seu treino. Esse pode ser um hábito ligado ou não ao trabalho.

4. Dê uma pausa a si mesmo.

Por mais extraordinárias que sejam, as pessoas são apenas pessoas – e não super-heróis. Portanto, o sucesso profissional deve acontecer no período de trabalho, e não 24 horas por dia, sete dias por semana. Claro que quanto mais produtivo você for, melhor. Mas produtividade é realizar o maior número de tarefas no menor tempo possível (e com qualidade). Trabalhar sem intervalos para descansar ou pensar em outro assunto pode ser justamente sinal de improdutividade.

5. Agradeça e elogie.

Às vezes, você tem crises de autoconfiança. O resto do mundo também tem. Por isso, estar sempre pronto a fazer elogios – sinceros – e expressar gratidão ajuda não só você a se sentir melhor e mais leve, mas o outro, que, quem sabe, está precisando ouvir uma palavra de agrado naquele momento. Há pessoas que não se esquecem nunca mais de outra por episódios assim.

6. Pratique exercício físico.

Não precisa virar rato de academia nem maratonista. Basta 20 ou 30 minutos de atividade física diária. Os efeitos costumam se estender além da disposição física. Praticar esportes ajuda a manter o bom humor, o foco e exercita a disciplina.

7. Desista de algumas ideias.

Ter ideias é fácil. Difícil é realizá-las. Dito isso, elimine 99 de 100 grandes ideias que lhe vierem à cabeça. Assim, você poderá se concentrar no que realmente funciona. A única maneira de fazer isso é estar disposto a desistir de coisas que você tentou, mas não estão gerando resultado. Não se preocupe com o quanto já investiu e perdeu. Isso é passado.

8. Confira os detalhes.

Pessoas extraordinárias aprendem a delegar de forma eficaz. Isso pode ser assustador em um primeiro momento, pois requer confiança. É impossível verificar se tudo o que passou para os outros está andando corretamente.

Você pode, entretanto, conferir um ou outro detalhe do processo. Esse hábito faz com que as pessoas saibam que você poderá verificar qualquer parte do trabalho, a qualquer momento. E, com isso, a tendência é que, se não estiverem sendo cuidadosas, passarão a ser.

9. Aprenda a rir – especialmente de si mesmo.

A comédia é o outro lado da tragédia. Apesar de toda a intensidade com que as pessoas extraordinárias perseguem seus objetivos, elas mantêm uma visão do todo, com certo distanciamento, o que as faz reconhecer que a vida bem conduzida é cheia de humor. Assim, as piadas mais importantes que você pode contar são sobre si mesmo – e os temas devem incluir seus fracassos. Como disse H.G. Wells (o escritor de Guerra dos Mundos): “A crise de hoje é a piada de amanhã”.

10. Compartilhe algo grande.

Compartilhe as coisas boas. Muita gente faz fofoca, reclama ou discorre sobre temas negativos com facilidade, mas o que conquista ou descobre de positivo guarda para si, com medo de perder o que conseguiu. Pessoas extraordinárias, ao contrário, sempre têm algo construtivo para dizer aos outros. Pode ser uma piada, uma história ou boas notícias. Para ter o melhor dos outros, é preciso oferecer o seu em troca.

 

Fonte: http://epocanegocios.globo.com

Fonte de amor

Posted on jul 7, 2014

Quem acompanha o nosso trabalho já deve ter percebido o quanto somos apaixonadas por caligrafia e fontes fofas que deixam qualquer texto mais especial. Por isso, adoramos ler essa matéria sobre uma ação muito bacana promovida pela Fundação Arrels, uma ONG espanhola, e pela agência de publicidade McCann Cyranos. Elas se uniram para criar fontes baseadas na caligrafia de pessoas sem teto, da cidade de Barcelona. A intenção é fazer com que os cartazes escritos pelos moradores de rua ajudem a mudar a realidade dessas pessoas. As amostras de caligrafia foram fotografadas em um estúdio e, em seguida, transformadas em fontes disponíveis comercialmente. Por meio do Homelessfonts.org., as pessoas podem comprar as diferentes fontes e contribiur para financiar o trabalho da fundação Arrels.

Assista ao vídeo sobre a ação. Muito bacana!

 

Livres pra voar

Posted on jul 3, 2014

“Há mais ou menos um ano e meio, resolvemos chutar o balde e sair da gaiola para dar asas às ideias que nos “atormentavam.”

Nós adoramos ser surpreendidas com histórias de pessoas que largaram um emprego para apostar na felicidade. Ainda mais quando ficamos sabendo que o Agora Sim! ajudou a dar um empurrãozinho para isso acontecer.

Acompanhamos o blog de vocês faz algum tempo e o material postado teve uma grande influência para acreditarmos em nós mesmos e decidirmos dar vida às nossas ideias.”

Semana passada, tivemos a imensa alegria em conhecer a história do Jáder e do Tiago, dois amigos designers que deram “asas” ao sonho de fazer o que gostam ao criarem a Zé Matuca, uma marca de camisetas super legal, com estampas de passarinhos. Um olhar voltado para a riqueza das coisas simples. Uma espécie de imaginação que se encontra logo ali, no quintal da casa deles.

Nesse vídeo, os meninos contam um pouco dessa história pra gente. Desejamos que eles continuem assim: livres pra voar!

E é com as camisetas da Zé Matuca que vamos torcer pelo Brasil amanhã. Para conhecer melhor o trabalho deles e encomendar a sua, aí vão os contatos:

Site: www.zematuca.com.br

Facebook: www.facebook.com/zematuca

Instagram: instagram.com/zematuca

photo 4