<3 :)

Posted on ago 25, 2014

Um daqueles e-mails que a gente ama receber!
Olá Agora Sim!, tudo bem?

Sou um leitor viciado no blog de vocês! São incríveis.
Eu acompanho já faz um tempo, e só hoje tive coragem de mandar esse e-mail. Não sou o tipo de pessoa que fica comentando no blog, ou discutindo sobre os assuntos nos comentários e redes sociais, (apesar de saber que é bom pra vocês, blogueiras). Mas hoje senti necessidade de agradecer vocês que me ajudam muito.
É engraçado isso, nem me conhecem, nem sabem que eu existo, nunca me viu, e me ajudam pra caramba, hehehe.
Eu quero agradecer por serem tão inspiradoras, sempre com os textos certos, os vídeos certos, e as mensagens certas pra aquele momento de descoberta, dúvida, ou até mesmo de tristeza.
Esses dias estava muito perdido, e ainda estou um pouco. Sou muito jovem pra estar perdido, tenho só 22 anos, mas já tenho tantos planos, e metas e coisas que quero realizar, mas não to conseguindo, e nesses dias de total tristeza e solidão, li um texto de vocês que me fez acreditar de novo em tudo que eu quero.
Consegui abrir um marca, bem pequena, e tá no começo. Mas por falta de experiência, e falta de dinheiro, acabei me atrapalhando um pouco e quase coloquei tudo a perder. Estava tão pra baixo que queria desistir de tudo, mas ai vocês me salvaram, e continuam salvando a cada dia que postam alguma coisa.
Enfim, desculpem pelo pequeno desabafo, mas eu só queria que soubessem o bem que fazem pra mim, e aposto que pra muita gente também. E agradecer por estarem ai, ajudando, sem mesmo saber a dimensão da ajuda.
Vocês são incríveis.
Beijos

Preparem-se para o impacto

Posted on ago 22, 2014

Em Janeiro de 2009 um avião pousou no rio Hudson em Nova Iorque. Ric Elias, estava a bordo e conta nesse talk as coisas que passaram pela cabeça dele e as lições que ele aprendeu depois de ter vivenciado uma quase morte.

Vale a pena dar o play!

 

 

Porque?

Posted on ago 19, 2014

 

Simon Sinek já fo citado aqui no blog recentemente, quando compartilhamos um texto sobre propósito. Agora vamos compartilhar um talk dele no Ted. Esse vídeo é tão bom que está entre os mais vistos. Vale muito a pena ouvir o que que ele tem a dizer.

Aproveite!

Para saber mais acesse: https://www.startwithwhy.com/

 

Rede Ubuntu em BH

Posted on ago 18, 2014

Já falamos uma vez aqui no blog sobre a Rede Ubuntu, que desenvolve um projeto super bacana, que tem tudo a ver com o Agora Sim! e com quem está em busca de um propósito de vida.

E a boa notícia é que eles chegaram a BH. Semana passada, eu (Lilian) participei do evento de inauguração, na linda sede da Plan B, e achei incrível a proposta deles.

Captura de Tela 2014-07-29 às 12.30.26

A palavra que resume as atividades da Rede Ubuntu é: EUpreendedorismo, o estado máximo de realização de um indivíduo e seu valioso processo. Um modelo mental, uma forma de pensar e agir, que busca a ampliação da consciência das pessoas para que elas possam realizar seus projetos profissionais ou pessoais, construindo um futuro a partir de suas essências.

Com muita criatividade, eles combinam diferentes filosofias e teorias para promover auto conhecimento, desenvolvimento de competências e estratégias práticas em busca do EUpreendedorismo.

Por meio de cursos de formação, consultorias e coaching, a Ubuntu inspira pessoas, equipes e organizações, e estimula o empreendedorismo aliado a propósito, para que profissionais sintam-se mais felizes e motivados.

“Acreditamos que em um mundo que passa por grandes transformações (econômicas, ecológicas, sociais, comportamentais) podemos facilitar também a transformação de organizações e líderes, na direção de um novo modelo emergente. Um modelo que se desenvolve através da interdependência, da colaboração, das relações, das redes, do bem comum.”

Em setembro, também na sede da Plan B, será lançado o 1º RUA (Rede Ubuntu de Aprendizagem) BH. O RUA é um programa da Rede Ubuntu, que ajuda as pessoas a entenderem seu propósito de vida e desenvolverem o auto conhecimento. É a primeira etapa do processo de formação em EUpreendedorismo.

ruabh

O programa é composto por módulos de formação em cada uma das competências de EUpreendedorismo (Modelo PURPO$E) com uma metodologia que consiste em criar espaços de colaboração, geração de insights, utilizando artes nas suas mais variadas formas, filmes, exercícios corporais, vivências e reflexões.

E a outra boa notícia é que a Rede Ubuntu disponibilizou duas bolsas de 50% do valor da inscrição para os leitores do Agora Sim! Para concorrer a uma delas, envie um email para contato@agorasim.blog.br, contando um pouco da sua história e dos seus objetivos profissionais pra gente. Vamos escolher as duas que mais se identificam com o projeto. O prazo máximo para o envio é dia 28 de agosto. Boa sorte a todos!

Se quiser saber mais informações, o site deles é: http://www.redeubuntu.com.br/pt-br/blog/mais-sobre-rua-em-belo-horizonte

E, para entender um pouco mais sobre o EUpreendedorismo, assista a esse vídeo, que explica um pouco da filosofia da Rede Ubuntu.

 

Happiness

Posted on ago 12, 2014

 

Quando pequenos vídeos, com poucas cores, te fazem sentir um pouco mais de alegria!

 

Happiness from Bran Dougherty-Johnson on Vimeo.

LOVE from Bran Dougherty-Johnson on Vimeo.

 

Signs

Posted on ago 5, 2014

Esse restaurante no Canadá é único.Toda a equipe tem deficiência auditiva, o que resulta em algo incrível.

 

Com um cardápio super didático com os desenhos da linguagem dos sinais, faz com que os cliente, para fazer o pedido entre no mundo dos sinais. Adoramos a iniciativa que foi uma grande conquista para todos os funcionários.

 

 

O vídeo só tem legendas em inglês, mas tem tanto amor que vale a pena assistir.

 

o desejo pelo aspargus

Posted on ago 4, 2014

8654898909_57aa92b91b_b

Você possivelmente já ouviu falar no Thomas Keller, o chef por trás dos restaurantes “the French Laundry, Per Se e Bouchon” Em uma entrevista para Mark Wilson sobre escolas de culinária, mas em um pequeno trecho não foi publicado, então ele resolveu compartilhar esse parágrafo sobre paixão vs desejo.

“Não se trata de paixão. A paixão é algo que tendemos a exagerar, que certamente nós colocamos muita importância, paixão sobe e desce. Para mim, trata-se de desejo, se você tem um constante desejo de ser um cozinheiro, então você vai ser um grande cozinheiro. Se é apenas sobre a paixão, às vezes você vai ser bom e às vezes não.

Você tem que entrar todos os dias com um forte desejo. Com paixão, se você ver o primeiro espargos da primavera você se torna apaixonada por ele, mas três semanas depois de ver os espargos todos os dias, as paixões diminuí. O que vai fazer você tratar o aspargo a mesma coisa? É o desejo.”

Enquanto as palavras de Keller se referem a cozinha, não há razão para que essa filosofia não possa ser aplicada ao seu trabalho, seja ele qual for. Qualquer um pode fazer um bom trabalho durante esses momentos inspirados pela paixão, mas é o desejo de todos os dias que te faz fazer um excelente trabalho todos os dias.

Essa é uma tradução livre do texto http://www.fastcodesign.com/1672282/thomas-keller-on-why-passion-shouldn-t-drive-you

Foto: https://www.flickr.com/photos/eva_linda/8654898909

O seu negócio

Posted on jul 31, 2014

Pra quem quer empreender, essas 10 dicas vão te fazer pensar um pouco. Mas o Thiago (autor do texto) vai ter convencer que sim, afinal ninguém disse que seria fácil.

5ca01fe2d2784e5bf15a6e26f634a40d

Neste ano completei 10 anos de empreendedorismo. Lá atrás, não sabia em que tipo de encrenca ia me meter. Com o atrevimento típico da juventude, não me preocupei em pensar muito, somente em fazer.

Passada uma década, refleti sobre o que ninguém nunca me contou sobre ser empreendedor e decidi compartilhar essas experiências em 10 tópicos:

1 – Você é seu próprio chefe. E isso não é necessariamente bom

Sabe todos aqueles problemas que você tem no seu trabalho e que, quando vai para casa ou para a mesa do bar diz que são “culpa do idiota do chefe”, que ele não entende nada, que tem a cabeça fraca? Pois bem, agora a culpa é sua. Não tem ninguém para transferir a responsabilidade. Ela é sua e apenas sua. E isso é pesado. Mas faz perceber que muita coisa que antes você pensava não estar correta e era projetada nos outros, talvez não fosse tão culpa das pessoas… Agora a situação depende única e exclusivamente do seu esforço.

2 – As facilidades da grande corporação não existem mais

Dificilmente alguém começa uma empresa já sendo grande. O início é sempre menor. E o empreendedor, especialmente se ele foi alto funcionário de uma corporação gigantesca, está acostumado com um monte de mordomias que ele nem mesmo percebe. O computador deu pau? Não tem mais “setor de TI” para ligar e pedir para resolver. É com você mesmo. O café acabou? Vai lá e compra mais. Precisa de caderno, caneta ou qualquer outro material de escritório? A papelaria é logo ali. Empreendedorismo é como sair da casa dos pais: é hora de crescer e andar com as próprias pernas.

3 – Dono trabalha muito mais do que funcionário

Tem quem diga que vai abrir o próprio negócio para não ter mais que se submeter à exaustiva carga horária de trabalho que as empresas empurram aos funcionários. Ledo engano. Dono trabalha muito mais. E, na maioria das vezes, não ganha mais por isso. Nem tem banco de horas. Quando dá o horário de ir embora, os funcionários simplesmente vão. Mas o dono tem que ficar cuidando de nota fiscal, fornecedores, marketing, bancos… tudo aquilo que não deu tempo de fazer durante o expediente normal de trabalho, em que você tem muitas coisas para resolver.

4 – Você vai ganhar menos

Iniciar um novo empreendimento normalmente envolve investimento. Se não de dinheiro, de tempo. Significa que você vai ficar sem a renda que tinha antes, de um jeito ou de outro, até as coisas começarem a efetivamente funcionar e dar retorno. Se você não fez reservas para começar ou se não está preparado para mudar seu estilo de vida, talvez empreender não seja a sua solução. Por outro lado, é sempre bom lembrar que, no longo prazo, o empreendedorismo costuma pagar melhor.

5 – Você é exemplo o tempo todo

Os mais antigos diziam, sabiamente, que “o olho do dono é que engorda o boi”. Nada mais certo. Mas é mais do que isso. O empreendedor é inspiração para seus colaboradores. Ficar reclamando de tudo e todos desestimula a equipe, a ponto de muitos começarem a ter seus desempenhos afetados. Estar presente, incentivar, demonstrar que está no mesmo barco, faz as pessoas comprarem verdadeiramente a ideia. E não há nada que uma empresa iniciante precise mais do que de gente com vontade de fazer acontecer.

6 – Seus amigos não entendem sua vida

Você vai receber um monte de convites, nos horários mais esdrúxulos, para programas que antes ninguém te chamava. E as pessoas fazem isso por pensarem que você, por ser dono, pode fazer o que quiser, entrar e sair a qualquer hora. Mas é exatamente o oposto. Sexta à noite? Quem vai finalizar o trabalho é você. “Aquele” cliente que precisa de atenção especial? É seu, não há dúvidas. Além do que, ao começar, muito provavelmente a inteligência do negócio estará com você e a sua presença será fundamental. Só que as pessoas que não são empreendedoras simplesmente não entendem isso.

7 – Você vai querer desistir

Quando todo mundo falar sobre os bônus no fim do ano, ou mesmo 13º e férias, vai dar uma ponta de arrependimento. E isso porque só estamos falando sobre dinheiro. Mas quando as coisas não derem certo no dia a dia, quando os funcionários irritarem, quando todas as perguntas tiverem que ser respondidas por você, aí é que a vontade de desistir virá com força. Você vai pensar que era muito mais fácil quando era funcionário e o problema não era só seu. Mas aí vem a lembrança do que levou você a largar aquela vida e você aguenta um pouco mais.

8 – O empreendedor é solitário

Ainda que você tenha sócios, a atividade empreendedora, em qualquer segmento, é bastante solitária. São vários detalhes, que vão das instalações físicas a negociações de contratos com clientes e fornecedores. Tudo acontecendo ao mesmo tempo. Naturalmente, o volume de trabalho e a enorme responsabilidade trazem consigo uma introspecção maior. Isso faz o empreendedor ficar mais sozinho. Mas não veja isso como algo necessariamente ruim. Lembre-se de que a solidão é o local perfeito para ouvir a si mesmo. Quando foi a última fez que você se deu esse direito?

9 – Sucesso é algo relativo

Você não terá mais o cartão de visitas da grande multinacional, nem o cargo que tinha antes. Agora, você escreve o que quer no seu cartão. Mas talvez você não seja convidado para aqueles eventos para os quais era sempre chamado. Aí vai perceber que o convite e os benefícios todos eram do cargo e não seus. Se, num primeiro momento, isso te incomodar, lembre-se de que você, muito rapidamente, pode alcançar a notoriedade que vai te fazer deixar de ser audiência para virar a atração principal. Porque agora nada mais de impede de inovar e avançar que não a sua própria vontade. E ainda que nada disso aconteça, ser dono do próprio nariz (e negócio) te dão a liberdade de entender que sucesso é mais do que dizer ser da empresa X ou Y.

10 – Não existe nada melhor

Como os nove pontos anteriores mostraram, empreender não é um caminho fácil. No dia-a-dia de quem decide ter um negócio próprio, a frase do clássico personagem Rocky Balboa é a mais perfeita: “Na vida não importa o quanto você bate, mas o quanto você apanha e ainda permanece em pé”. Mas existe outro lado. Quem se mantém em pé nessa luta, depois de um tempo olha para trás e sente um orgulho impressionante. A sensação de avaliar o que se construiu e perceber que isso foi feito com suas próprias mãos é incrivelmente boa. Certo ou errado foi você quem fez, do seu jeito, da maneira que mais te agradou. E não existe nada melhor do que isso.

Thiago Costa é jornalista e Mestre em Tecnologias da Inteligência e Design Digital pela PUC-SP. Há 10 anos é sócio-diretor da agência EVCOM e também atua como professor e coordenador de cursos na FAAP.

Via: http://www.administradores.com.br/noticias/carreira/10-coisas-que-ninguem-te-conta-quando-voce-decide-ser-empreendedor/90178/